Home > Ler sobre a casa > Quarto, o espaço íntimo

Quarto, o espaço íntimo

Foto de Quarto, o espaço íntimo
Já pensaste na forma como o teu quarto te proporciona segurança e conforto para “baixares a guarda” e adormeceres? E de que forma celebras o teu acordar?

Partilha este artigo

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Linkedin
  • Tumblr
  • Pinterest
  • Blogger

O quarto é uma das divisões principais da casa, sendo muito mais do que apenas o sítio onde dormimos. Mesmo que não lhe prestemos grande atenção e o deixemos para último, em geral acaba por ser a divisão onde passamos mais tempo e aquela que esconde os nossos segredos mais íntimos. Está sempre presente em todas as situações, já que é aqui que repousamos e nos preparamos para a próxima jornada, entrando em contacto com as profundezas do nosso inconsciente. Por isso, desempenha um papel muito relevante na nossa vida e tem um grande impacto na qualidade do que vivemos.

EM PRIVADO

Costuma ser o espaço mais privado e secreto da casa, aquele que normalmente não mostramos a ninguém. Quem quer que visite a nossa casa, raramente tem acesso ao quarto, sendo uma área exclusivamente dedicada à nossa intimidade. Na maior parte dos casos, só nós é que lá entramos. Se considerarmos a casa como a fronteira que nos separa e protege do que acontece lá fora, o quarto representa o nosso esconderijo dentro dela. Por esse motivo, é natural que permaneça mais distante da entrada e longe dos olhares de estranhos. É essencial evitar que o quarto seja constantemente invadido, sobretudo se estiver localizado numa área muito exposta. Mas também que permaneça estagnado, conforme pode acontecer a quartos sempre fechados ou que se situam em compartimentos interiores sem luz natural. 

Podemos dizer que o quarto é o nosso ninho. Seja individual, partilhado ou de criança, é um espaço que conta a nossa história mais silenciosa e para onde frequentemente regressamos quando nos queremos sentir protegidos e em segurança. Este casulo é onde assumimos o nosso poder pessoal perante a família, os outros e o que nos acontece. Podemos não nos abrir e sentir em controlo em mais lugar nenhum, mas no quarto é desejável que sim.

Além de nos resguardar, o quarto é o espaço onde nos nutrimos internamente. Na realidade, é a dormir que libertamos todos os excessos e reciclamos a nossa energia vital, sendo a cama das peças mais importantes da casa. Para uma regeneração e cura plenas, tanto o espaço como a cama devem proporcionar conforto e tranquilidade, e ser benéficos durante o sono. Dormir num ambiente aconchegante, seguro e que inspire sentimentos bons e pacíficos será sem dúvida mais saudável do que dormir num lugar frio, desconfortável e impessoal. E o impacto será a todos os níveis, desde os relacionamentos, ao trabalho e à vida em geral. Assim, precisamos de criar um quarto onde nos sintamos bem, que tenha a nossa impressão digital e que nos acolha todos os dias.

UMA CASA QUE INTERIORIZA BEM

Conhecer o quarto de alguém permite-nos dizer muito sobre essa pessoa. Tal como as outras divisões da casa, manifesta uma simbologia própria que pode ser utilizada para compreender melhor quem nele dorme. Se o nosso quarto é este, então não será por acaso. Se a escolha da nossa casa é determinada por quem somos, optarmos por viver numa casa com um determinado quarto também. Cada quarto é único e não há uma casa onde se viva a intimidade da mesma maneira. Precisamente como acontece contigo, o quarto pode ser mais ou menos acolhedor, proporcionando mais ou menos cura e segurança aos seus habitantes.

O quarto é o “útero” onde regeneramos a energia vital. Determina a capacidade que temos de limpar e curar as nossas emoções e pensamentos, lidar com o que nos acontece e superar os nossos dilemas existenciais. Ter energia suficiente para viver depende em parte da qualidade e profundidade do nosso sono. Um quarto que não nos permite descansar plenamente e onde não nos sentimos protegidos pode causar exaustão e situações limite de depressão e esgotamento, já que não permite gerir o stress e alcançar o equilíbrio. Da mesma forma que um quarto onde também trabalhamos pode se tornar demasiado cansativo. Já pensaste na forma como o teu quarto te proporciona segurança e conforto para “baixares a guarda” e adormeceres? E de que forma celebras o teu acordar? 

Além de nos nutrir, o quarto é o lugar onde expressamos o nosso inconsciente. Sendo um espaço íntimo, tanto pode manifestar felicidade e satisfação pela vida, como também calar emoções mais negativas como culpa, medo, tristeza ou agressividade. Se o quarto estiver atulhado, significa que dentro de nós pode haver uma enorme confusão, tornando-se difícil saber quem somos, mudar padrões emocionais e afirmar a nossa individualidade. E se estiver vazio ou não dormirmos lá, podemos não querer enfrentar e lidar com o que temos para resolver. Portanto, está na hora de estabeleceres uma relação próxima e especial com o teu quarto. Para começar, pode ser um ótimo local de meditação.

Cada quarto é pessoal. Consoante a forma como vivemos a intimidade, tanto pode ser para nós um local de amor, prazer e desejo, onde nos sentimos plenos e valorizados, como um local de uma enorme solidão e frustração, onde sentimos que damos mais do que recebemos, que falta apoio na vida e que não conseguimos manter relacionamentos saudáveis. Quando a intimidade não existe, é no quarto que sentimos mais a sua ausência. Criar um ambiente sereno e confortável, e incluir nele alguma sensualidade, é por isso essencial.

O MEU QUARTO

Entrar no quarto pode ser agradável ou podemos sentir muitas resistências, seja porque nos sentimos sós, não conseguimos dormir bem, a cama não é confortável e suficientemente espaçosa, o espaço é claustrofóbico, não temos sítio para arrumar as roupas, está sempre desarrumado ou simplesmente não gostamos de lá estar. Questiona-te sobre o que sentes quando entras no quarto, para compreenderes o que pode não estar a resultar bem para ti.

Se tens um quarto acolhedor com luz natural, que gostas e onde dormes bem, é um excelente ponto de partida. Se não tens, mãos à obra. Ao renovar o quarto ou ao reparar o que está em más condições, já estás a transformar padrões emocionais, a curar relacionamentos amorosos e familiares, e a criar uma relação mais íntima contigo, que se vai refletir em todas as áreas da tua vida.

1. Exclusivo e autêntico: Já que é o teu quarto, deixa do lado de fora todas as pessoas que não te interessam e que podem perturbar a tua intimidade. Mantém uma certa exclusividade e estabelece fronteiras. Uma placa na porta com o teu nome pode ser uma ideia. Além disso, é importante que o espaço contenha apenas coisas relacionadas contigo e que te pertençam. Se for um quarto partilhado, ambas as pessoas devem identificar-se com todos os objetos e escolhas decorativas. Isso é essencial para relacionamentos saudáveis e equilibrados. Evita ter fotografias de outras pessoas expostas, sejam de filhos, amigos, pais ou sogros, especialmente em quartos de casal, para não teres a tua privacidade invadida. Tem ainda atenção ao tipo de imagens que escolhes, não te esqueças que se trata do teu espaço íntimo.

2. Sem inquietações: Tudo o que desequilibre a tua tranquilidade torna-se prejudicial. Se causa incómodo, está estragado, não cumpre a sua função ou não gostas, é para retirar do quarto ou substituir, seja uma cama, uma cor, um candeeiro, um objeto, uma almofada ou qualquer outra coisa. Mantém uma certa organização e não aceites um ambiente caótico ou cheio demais. O que vês da cama define o que queres para a tua vida, devendo ser inspirador e não um armário cheio de tralha. Evita os espelhos grandes, especialmente se refletirem a cama, já que aceleram e redirecionam a energia à tua volta, podendo gerar insónias e sono agitado. Se tiveres casa de banho no quarto, evita a porta virada para a cama. Se isso acontecer, mantém-na fechada. Cuidado com a parede que escolhes para encostar a cama, as canalizações de água enfraquecem a tua energia. Deixa os aparelhos eletrónicos fora do quarto, em particular a televisão, para não poluir o ambiente com a radiação electromagnética que emitem. Ou afasta o mais possível o telemóvel da cama se precisares de o manter no quarto. Aposta nos despertadores a pilhas, são mais benéficos para a saúde, e não te excedas nas extensões para não teres rolos de cabos elétricos debaixo da cama. Guarda no quarto apenas os livros que estás a ler e coloca os restantes na sala ou no escritório, para não te criarem ansiedade. No geral, liberta os excessos. 

3. Sono profundo: Uma boa cama é sinónimo de bom descanso. Prefere as camas com estrutura em madeira, as metálicas geram instabilidade na energia durante o sono e podem ter efeitos na saúde a longo prazo, e escolhe um colchão cómodo e confortável. Opta por uma cabeceira robusta para sentires apoio e suporte na vida, e encosta-a a uma parede sem janelas, já que estas podem impedir um sono profundo. Confirma se a partir da cama consegues “controlar” todo o quarto, só assim te vais sentir em segurança. Posiciona primeiro a cama e depois tudo o resto virá em função dela. Não durmas debaixo de vigas e janelas de sótão, com prateleiras por cima ou esquinas afiadas na tua direcção. Evita acumular tralha debaixo da cama para não estagnar a energia e prejudicar a saúde, mantendo de preferência o espaço completamente livre e deixando o ar circular. Se tiveres que ocupar esse espaço, que seja para lençóis e roupa lavada que usas regularmente e não para caixas de sapatos com recordações. Evita ter os pés da cama orientados na direcção da porta para não bloqueares o movimento da tua energia.

4. As melhores escolhas: As escolhas decorativas dependem de vários fatores que devem ser analisados rigorosamente por um consultor. No entanto, deixo-te algumas sugestões. No quarto tudo deve ser neutro, desde as cores à iluminação. Opta por cores pastel, materiais naturais e padrões orgânicos, criando um ambiente mais quente que favoreça o relaxamento. Os verdes, azuis, rosas, brancos, lilases ou amarelos claros, são boas opções desde que suaves. Deixa as paredes mais claras e introduz as cores nos objetos e tecidos. Utiliza os tecidos para ajudar a abrandar o fluxo de energia, não abdicando das almofadas e dos cortinados. Mas não os deixe sempre fechados e aproveita a luz natural. Mantém o espaço arejado e limpo. Aposta em peças ao pares (sem exageros) e alguma simetria na decoração, incluindo nos tapetes, candeeiros e noutros elementos, já que simbolizam estabilidade interna e externa. Em camas de casal, inclui sempre duas mesas de cabeceira. Ainda que não sejam totalmente iguais, convém que apresentem semelhança ao nível do tamanho, forma e materiais, para um maior equilíbrio. Emoldura ainda fotografias do casal unido se for esse o caso, e escolhe momentos felizes e românticos. No geral, os quadros devem representar cenas pacíficas, que lembrem a natureza tranquila ou que transmitam serenidade. Inclui plantas no quarto, é uma ótima fonte de energia vital.

5. Sonhos reparadores: Dormir num ambiente harmonioso e seguro é fundamental para a tua saúde e estabilidade emocional. Se houver algo que não gostes e que não te transmita bem-estar e inspiração, não deixes que entre no teu espaço íntimo. Porque se o quarto fizer com que te sintas feliz e te proporcionar um sono reparador, conseguiste criar uma casa que sabe acolher a tua intimidade. 

(adaptado do artigo que escrevi para a Revista Telenovelas, Março 2018)


Recebe as novidades no teu email